colar entre e Ciganos no Mundo
   

     


Ciganos no Mundo

Clique nos links abaixo para saber melhor sobre cada um

 

Albert Lee
Alexandre  Romanes Bouglione

Alija Krasnici

Antônio Solario
Augustine Bearce
Bajram Haliti
Biréli Lagrène
Bob Hoskins
Bronislawa Warmiak Wajs " Papusza "
Camaron de la Isla  

Ceija Stojka
Charles Chaplin
David Beeri
David Essex
Delia Grigori
Denny Laine

Diego Ramón Jiménez Salazar

Django Reinhardt

Elena Lacková

Elek Bacsik
Esma
Redzepova
 

Ferenc Snétberger
George Bramwell Evens
György Cziffra
Ian Hancock
István Dankó
Iva Bittová
Jake Bowers
Janika Balaž Vojvodina
János Balázs
Jarmila Balázová
Jimmy Rosenberg

Joaquín Pedraja Reyes "Joaquín Cortés"
Johann “Kalitsch” Horváth
Johnny Raducanu
Jorge Emilio Nedich

Jozka Kubik
Kálmán Balogh
Katarina Taikon

Katarzyna Pollok

Kerope Petrovich Patkanov
Kostas Pavlidis
Lila Zellet Elías
Louise Doughty
Lyu
dmila Nikolayevna Pankova
Manoush
Mariska Veers

Martin Taylor
Matéo Maximoff
Michael Caine
Micaela Flores Amaya “La Chunga”
Mikhail Erdenko
Mircea Lacatus
Natalya Nikolayevna Pankova
Nikolay Aleksandrovich Pankov
Nikolay Slichenko
Nikolay Ivanovich Erdenko
Ondrej Gina
Olga Pankova
Otto Mueller

Panna Cinková
Patricio Kassimati Hearni)
Pavel Serebryakov Tsaritsin
Philomena Franz
Rajko Duric
Rickie Lee Jones
Roby Lakatos
Ronald Lee
Rosa Taikon Janush
Sandro
Sani Rifati
Sofia Vasilyevna Kovalevskaya

Sofiya Marinova Kamenova

Tamás Péli
Tony Gatlif
Valdemar Kalinin
Viktória Bernáthné Mohácsi
Yevgeniy Aleksandrovich Nikolayev
Yiorgos Mangas
Yul Brynner
 

 

ALBERT LEE - Herefordshire - (1943)

 

• É um cigano romanichel(inglês) e um guitarrista bem conhecido de música rural, bluess e rock'n'roll que tocou com vários dos artistas mais famosos nesses gêneros: Elvis Presley, Chuck Berry e The Everly Brothers. Ganhou o Grammy Award em 2002, e outros prêmios concedidos pela Academia Britânica de Compositores.

<VOLTAR AO TOPO>

ALEXANDRE ROMANES BOUGLIONE, 1951

• Nascido em Paris, filho do cigano do grupo sinte Firmin Bouglione, é uma personalidade do mundo do circo e um grande poeta.
Iniciou a carreira como malabarista na escada e domador de leões. 
Passou um periodo afastado do circo pelo fato do mesmo ter tomado um rumo comercial e se afastado da cultura cigana.
Contudo, na década de 90 conhece Delia, uma cantora cigana da Romênia com quem se casou e fundou em 1994 o Cirque Romanes, primeiro circo cigano do continente europeu.
É o autor de duas coletâneas de poemas dedicados à cultura cigana: O Primeiro Circo Cigano na Europa, 1994; Uma Nação de Caminhantes 1998; Palavras Perdidas 2004; No Ombro do Anjo, 2010 e Uma Nação de Caminhantes, 2011. 

<VOLTAR AO TOPO>

ALIJA KRASNICI - SÉRVIA (1952)

Pertence à família cigana Gurbet e é um dos poucos autores que escreve prosa em Romani. Ele está entre os mais populares e premiados escritores na ex-Iugoslávia, depois de ter publicado mais de quarenta livros e muitos outros trabalhos literários em gêneros diferentes: prosa, poesia, drama e também livros para crianças. Ele é o autor de um dicionário de Romani.
E também é tradutor de Sérvio e Romani. Depois da guerra em Kosovo, vive como refugiado em Kragujevac, Serbia, tendo perdido as propriedades e salvando apenas seus manuscritos.

<VOLTAR AO TOPO>

ANTÔNIO DE SOLARIO VENETUS- Itália (1382- 1455)

• Conhecido como “Lo Zingaro” (O Cigano), ele era a princípio um ferreiro viajante, pois, seguia a tradição de seu pai. Solario se tornou pintor renascentista da escola napolitana. Em Nápoles, se tornou o a maior pintor de seu tempo. Naturalista, sua melhor obra é considerada uma série de vinte afrescos no monastério de San Severino.

<VOLTAR AO TOPO>

AUGUSTINE BEARCE - Grã Bretanha – (1618 - 1686)

• Foi um cigano romanichel deportado pelas autoridades britânicas às colônias na América em 1638. Chegando a Plymouth, Massachusetts, se mudou para Cape Cod em 1639 e casou-se com a princesa de Wampanoag, a neta do grande Sachem Highyannough e da princesa indígena da tribo de Nanhigganeuck. E matrimônios como este foram bastante freqüentes, como os ciganos eram deportados sem a presença de ciganas, acabvavam por encontrar suas esposas entre os indígenas, porque estes também eram excluídos de participação ativa na sociedade branca.

<VOLTAR AO TOPO>

BAJRAM HALITI ,1955

• Nascido na Iugoslávia (atual Kosovo) é um célebre cigano estudioso e e ativista em causas ciganas. Seus livros ganharam muitos prêmios, incluindo vários prémios na "Amico Rom" concurso anual da Itália. É poliglota que ministra aulas em toda a Europa e nos EUA. Ele trabalhou como editor da revista Ahimsa, "não-violência", dedicada a questões dos ciganos e sérvios.

 

<VOLTAR AO TOPO>

 

BIRÉLI LAGRÈNE – França - (1966)


• Seguindo os passos de Django Reinhardt  , o guitarrista Biréli se revelou um prodígio infantil que só tinha 13 anos quando fez a primeira gravação. Nascido em uma família de músicos autodidatas excelentes, Biréli vive ainda em caravana como um autêntico sinto-manush, cigano do grupo valshtike (ciganos franceses). É o fundador do “Projeto de Jazz Cigano.”

<VOLTAR AO TOPO>

BOB HOSKINS - Inglaterra - (1942)


Robert William Hoskins, como muitos ciganos, passou a juventude viajando e realizando trabalhos ocasionais em circos. Então ele entrou para o cinema e teve sucesso como ator. Sua mãe é do grupo sinte-gachkane, ciganos alemães. E seu filme The Raggedy Rawney (1988) foi baseado em histórias de sua avó cigana que eram contatas a ele para manter a tradição oral.

<VOLTAR AO TOPO>

BRONISLAWA WARMIAK WAJS" PAPUSA" UCRÂNIA (1910 -1987)


• Ela foi indubitavelmente uma das maiores escritoras de Romani, a devoção dela para aprender começou na infância. Pertencendo a uma família de músicos, não havia nenhum interesse em literatura entre as pessoas de sua família, assim ela foi ensinada a ler e escrever por uma senhora judia que também emprestou os livros. Ela sobreviveu à perseguição durante a Segunda Guerra Mundial e foi a autora de uma coleção de poemas e canções. Seus trabalhos foram publicados por Julian Tuwim, Jerzy Ficowski, entre outros. Apesar de sofrer o ostracismo do grupo (ser excluída e marginalizada por escrever em Romani) seus trabalhos foram a salvação de muitos intelectuais ciganos durante a guerra, servindo de esperança.

<VOLTAR AO TOPO>

CAMARON DE LA ISLA 1952 - 1992

• Nascido José Monje Cruz, em San Fernando, na província de Cádiz, foi o sétimo de oito filhos de um ferreiro cigano, Luis Monje, que morreu quando ele era criança. Para este dispensa-se muito comentário. Basta lembrar que ele foi chamado de o “deus cigano do flamenco”.

<VOLTAR AO TOPO>

 

CEIJA STOJKA - Áustria - (1933 - 2013)

• Margarethe Stojka nascida em uma família de ciganos do grupo Lovari, tradicionalmente comerciantes de cavalo. Ainda criança foi deportada para Auschwitz e depois transferida para diferentes campos de concentração até receber sua liberdade. Então Ceija decidiu estudar e se tornou uma escritora; seu primeiro livro foi o primeiro trabalho literário sobre o Holocausto escrito por uma cigana. Ela também é pintora autodidata. Ceija também cantou em Romanes. Em 1989, aos 56 anos de idade, ela começou a pintar. Seu trabalho tem sido exibido na Europa Ocidental e Oriental e no Japão. Em 2005, o Museu Judaico de Viena organizou uma exposição com o título de "Ceija Stojka, Leben". Além disso, ela tinha a exposição itinerante desde 2010 nos Estados Unidos, foi a primeira vez que sua obra foi exibida nos EUA "Eu sempre tento retratar meus sentimentos e memórias. Quero mostrar meu próprio mundo para o povo. É importante entender que, todos nós somos seres humanos e Arte nos permite viver e existir. A arte pode conectar as pessoas "

<VOLTAR AO TOPO>

CHARLES CHAPLIN - Reino Unido - (1889 -1977)

• Charles Spencer Chaplin, seus pais eram os artistas de música de saguão.
Ele se sentia fortemente identificado com os judeus e se manifestou em defesa das pessoas judias. Sua mãe chamava-se Hannah Smith, era cigana do grupo romanichel. Apesar de Chapin nunca ter admitido publicamente sua origem cigana, depois de sua morte o caso veio a tona: quando Oona, a viúva de Chaplin, morreu em 1991, sua filha Victoria Chaplin herdou uma casa que tinha pertencido a seu pai. E lá encontrou uma gaveta que permaneceu teimosamente fechada por anos e anos. Quando o cvhaveiro a abriu, Victoria encontrou uma carta que fora escrita a seu pai. A nota amigável de um octogenário chamado Jack Hill, que escreveu a partir de Tamworth na década de 1970 para informar a Chaplin que ele não era um dos filhos mais famosos do sul de Londres, mas que ele tinha entrado no mundo "em uma caravana cigana: "Você nasceu em Black Patch em Smethwick perto de Birmingham".

<VOLTAR AO TOPO>

DAVID BEERI - Hungria (1951)

• Nome de nascimento Károly Pongor Beri, artista cigano que criou o próprio estilo espiritual de pintura moderna, resultante da combinação dos estilos surrealismo, expressionismo, cubismo e outras tendências de acordo com as próprias explicações dele. Suas telas foram apresentadas em muitas exposições, principalmente na Hungria, Alemanha, Países Baixos, Bélgica, Japão e América do Norte. Mesmo depois de atingir a fama e o reconhecimento não assumiu publicamente a origiem cigana.

<VOLTAR AO TOPO>

DAVID ESSEX - Londres – (1947)

Seu nome David Albert Cook, o cantor popular e ator, é um cigano romanichel. David Essex foi o presidente da União de Ciganos da Grã Bretanha e ainda foi um membro ativo do Conselho Cigano. Ele foi premiado pela Rainha com a Ordem do Império britânico pelo compromisso dele com as artes e o trabalho de caridade em 1999. Em meados dos anos 1960, no final da adolescência, Essex havia ingressado em uma banda chamada Everons como baterista e durante o dia ele trabalhava em uma fábrica. Mais tarde, ele deixou a banda, tornou-se um cantor e rebatizou-se David Essex. 

<VOLTAR AO TOPO>

DELIA GRIGORI 1972

• Cigana escritora da Romênia, filóloga, acadêmica e ativista dos direitos ciganos. Seus trabalhos publicados incluem uma série de escritos sobre cultura cigana e idioma. Em fevereiro de 2002, Delia solicitou que as autoridades estaduais romenas e a liderança da Igreja Ortodoxa Romena reconhecessem suas responsabilidades pela execução e consequências de cinco séculos de escravidão do povo cigano no histórico dos estados romenos da Valáquia e Moldávia.

<VOLTAR AO TOPO>

 

DENNY LAINE – Birmingham – (1944)

• Seu nome é Brian Hines nascido em uma família cigana romanichel, guitarrista, compositor e cantor. Membro de Moody Blues e então o co-fundador com Paul McCartney do Wings. Ele executou como solista com a idade de doze anos, e isto, seguindo o estilo de jazz inspirado por Django Reinhardt.

<VOLTAR AO TOPO>

DIEGO RAMÓN JIMÉNEZ SALAZAR - 1968

• Conhecido como El Cigala, Nascido em uma família de artistas ciganos espanhóis e intelectuais em Madrid, El Cigala começou a cantar em flamenco. Ele já gravou oito CDs e ganhou dois Grammys.

<VOLTAR AO TOPO>

DJANGO REINHARDT - França - (1910 - 1953)

• Jean-Baptiste Reinhardt foi o primeiro e ainda o maior músico de jazz europeu. Pertenceu ao mais numeroso grupo cigano o Sinte, do grupo gachkane alemães. Até mesmo depois que dois dos dedos foram seriamente comprometidos por um acidente, Django executava excelentemente violino, violão e banjo com o uso dos dedos saudáveis. O estilo particular de Django também está definido como “Jazz Manush.” A família Reinhardt conta com muitos músicos de jazz excelentes, entre eles os violinistas Schukarnak Reinhardt e Martin Weiss, e os guitarristas Babik Reinhardt, Hänsche e Maurice Weiss. Nascido em um acampamento Django até os dez anos viajava pela Bélgica, França, Itália e norte da África com sua família e a caravana de ciganos à qual pertenciam. Seu pai era violinista, e desde de bem novo Django demonstrava grande habilidade com o instrumento, por vezes fazendo pequenas apresentações junto com a banda liderada por seu pai. Aos quinze já era a estrela do espetáculo. Alguns anos mais tarde, quando tinha dezoito anos, a caravana onde dormia pegou fogo e Django sofreu queimaduras graves. Sua perna direita ficou tão queimada que os médicos chegaram a considerar a amputação. A mão esquerda também ficou bastante queimada, deixando os dedos anular e médio praticamente sem movimentos. Django ficou bastante deprimido, e seu médico recomendou que tocasse violão, por exigir da mão esquerda menos que o violino, e também como forma de terapia física e mental. A medida teve grande efeito, e dois anos depois Django já havia desenvolvido uma técnica própria incrível adaptada a sua deficiência.

<VOLTAR AO TOPO>

 

ELENA LACKOVÁ - Eslováquia - (1921 - 2003)

• Elena Doktorová, ela foi a primeira menina cigana que se formou na Univerzita Karlova de Praha, a mais velha e mais importante universidade da tchecoslováquia. Desde sua infância gostava de ler, mas seus primeiros trabalhos literários foram perdidos durante a guerra. Ela escreveu vários romances, contos e peças sobre o Holocausto em Romani.
Em 2001 ela foi honrada com o Rabbi Chatam Sofer Memorial Medal, o prêmio mais alto dado pelo Museu eslovaco de Cultura judia, para o trabalho documentário sobre o Shoah. A primeira cigana a ser agraciada com honras de estado: 3 Setembro 2001 o presidente eslovaco Rudolf Schuster deu a Ordem Ľudovíta STURA III. E o mesmo presidente também concedeu-lhe uma medalha por seus esforços ao longo da vida para manter os valores da maioria do povo cigano. Elena morreu no dia de Ano Novo com a idade de 82 anos em uma casa de repouso em Kosice, onde passou os últimos anos de sua vida.

<VOLTAR AO TOPO>

 

ELEK BACSIK - Budapeste - ( 1926-1993)


• Guitarrista e violinista, começou a tocar na mocidade como é comum entre ciganos húngaros. Em 1949 ele deixou a Hungria, seguindo o amigo György Cziffra. Em 1966 emigrou para os Estados Unidos onde completou a carreira como músico de Jazz depois de ter tocado em conjuntos na Europa com algumas figuras notáveis do Jazz. Ele também foi o violinista na orquestra de Elvis Presley, gravou com Dizzy Gillespie se apresentou em muitos concertos com grandes representantes de Jazz americano.

<VOLTAR AO TOPO>

ESMA REDZEPOVA 1943

• Nascida na Macedônia, cantora, compositora e ativista humanitária.   Durante sua carreira, já se apresentou em mais de 9.000 shows em 30 países. Com seu falecido marido Stevo Teodosievski ela adotou 47 crianças ciganas e recebeu inúmeros elogios pelo trabalho humanitário. Eleita vice-presidente no 8° Congresso International Union Romani.

<VOLTAR AO TOPO>

FERENC SNÉTBERGER – Hungria - (1957)


• Pertencente aos ciganos húngaros. A carreira dele como guitarrista foi desenvolvida na infância, desde então, cultivando gêneros diferentes, do clássico ao jazz, popular ao tango. A primeira composição para violão e orquestra, “em memória do Meu Povo” foi tocada por músicos israelitas para celebrar o 50º aniversário do fim do Holocausto. Ferenc Snétberger dedicou este trabalho à memória do holocausto (porrajmos) Cigano, inspirado na música profundamente apaixonada dos manush.

<VOLTAR AO TOPO>

GEORGE BRAMWELL EVENS – Reino Unido - (1884 -1943)


• Era um jornalista da BBC muito popular, mais conhecido como “Cigano”.
Ele também era responsável pelos programas para crianças nos quais reproduzia os sons da natureza em estúdio. E descrevia a vida cigana e as suas viagens em caravana. Em 1921, comprou um vurdon (carroça cigana) e estacionado em Cumbria começou a escrever artigos para jornais locais. Um memorial foi erguido em suas colinas favoritas de Cumbria, e sua carroça cigana, na qual apresentava seus programas de rádio, pode ser vista no Romany Memorial Garden em Wilmslow, Cheshire.

<VOLTAR AO TOPO>

GYÖRGY CZIFFRA – Hungria - (1921 - 1994)


• Grande pianista, ele interpretou clássicos de compositores como Liszt e Chopin de um modo particular. Nascido em uma família humilde de ciganos húngaros, em uma favela chamada Anjos da Corte, foi reconhecido internacionalmente como pianista excelente e mestre de improvisação. Depois da Guerra, foi preso por razões políticas e as torturas sofridas danificaram suas mãos. Tendo sido libertado, ele emigrou à França e sua habilidade foi restabelecida.

<VOLTAR AO TOPO>

 

IAN HANCOCK


• Seu nome cigano é Yanko Redžosko, lingüista renomado, professor de Romani, e defensor dos direitos humanos ciganos. Nasceu e cresceu na Inglaterra, e é um dos contribuintes principais no campo de estudos de Romani.
É o diretor do Programa de Estudos de Romani e o diretor do Centro de Documentação e Arquivos em Romani (RADOC) na Universidade do Texas em Austin onde é professor de inglês, lingüística de estudos asiáticos desde 1972. Ele representou os ciganos (Romani) nas Nações Unidas e atuou como membro do Conselho Comemorativo norte-americano do Holocausto durante o governo de Bill Clinton. Ele também representou os ciganos na cerimônia do prêmio Rafto Prize de 1997.

<VOLTAR AO TOPO>

ISTVÁN DANKÓ - conhecido como Pista Dankó – Hungria – (1858-1903)


• O autor e artista de música folclórica húngara, também foi chamado " Nótafa " (o cantor do povo). Em sua cidade nativa compôs música para mais de quatrocentos trabalhos de poesia. Então se mudou para Szatmar e casou-se com Ilonka Joó, a filha do prefeito daquela cidade, o casal teve que fugir - no estilo cigano - depois da desaprovação do pai dela porque Dankó era um Cigano. Na carreira ele conheceu as personalidades mais importantes do seu tempo, e até mesmo ficou o amigo pessoal deles, inclusive do primeiro-ministro István Weckerle e muitos reconhecidos escritores húngaros e poetas.
Vinte anos depois da sua morte, uma estátua foi erguida em Szeged pelo rio de Tisza. Pista Dankó foi o segundo cigano húngaro depois de János Bihari a ganhar tal honraria.

<VOLTAR AO TOPO>

IVA BITTOVÁ - Moravia - 1958


• Nascida de um pai cigano e uma mãe judia, Iva Bittová herdou o talento do pai que era um músico renomado na Checoslováquia. Ela é violinista excelente e uma lenda na música checa moderna. O estilo está definido como vanguardista, uma mistura original de música folclórica e contemporânea criada por ela. Ela também é compositora de muitos trabalhos e emprega técnicas sem igual, pessoais de executar. Ela alcançou sucesso internacional e deu concertos ao longo da Europa e o E.U.A..
Sua irmã Ida Kelarová é cantora de reconhecimento internacional, fundadora do conjunto Romanó Rat” (Sangue Cigano).

<VOLTAR AO TOPO>

JAKE BOWERS - Reino Unido - (1972)


• É um jornalista autodidata nascido em uma família cigana romanichel com 17 irmãos. Pensando nos direitos sociais dos ciganos, fundou a Companhia de Mídia Cigana. Ele trabalhou para televisão e rádio da BBC, para o Guardian e para muitas outras publicações independentes. No momento está trabalhando no projeto de começar via internet uma rádio em Romani.

<VOLTAR AO TOPO>

JANIKA BALAZ VOJVODINA (1935 -1988)


• Nascido em uma família de ciganos húngaros , na infância manifestou a vocação artística tocando violino.Mas depois se especializou em tamburitza e se tornou um virtuoso neste instrumento , típico daquela região e tradicionalmente tocado por ciganos. Ele realizou muitas apresentações na Iugoslávia e concertos em muitos teatros importantes do mundo, caracterizou para filmes documentários e trabalhou com músicos de prestígio internacional. Um monumento em sua homenagem foi erguido em Novi Sad na frente de Petrovaradin, no riacho oposto ao Danúbio.

<VOLTAR AO TOPO>

JÁNOS BALÁZS – Hungria - (1905 - 1977)

• Nasceu em Asókubin 1905 Seu pai e seu avô eram famosos violinistas ciganos. Começou a pintar tardiamente em 1968. Desde 1974, exibiu na Hungria e no exterior, onde teve grande sucesso. Ele pintava por sentimento e não por conhecimento (autodidata). Desejava mediar a intensidade do mundo que ele percebida. Em seus primeiros quadros que pintou seu próprio ambiente, mas com uma cor estranha. Algumas de suas pinturas são extraordinários com o seu construtivismo decorativo, o ritmo das linhas e com a lógica do desenho. Ele pintou figuras bizarras, flores e paisagens, sendo reconhecido como um dos grandes pintores do século XX.

<VOLTAR AO TOPO>

JARMILA BALÁZOVÁ – Tchecoeslováquia- (1972)


• É uma jornalista cigana que trabalha para rádio checa e televisão. Em 1992 fundou a Radiodifusão de Romani ("O Roma vakeren" Fala Cigano), então se ocupou de espetáculos de TELEVISÃO produtores para crianças. Ela também escreve para revistas e é editora de uma publicação mensal em Romani. Ela é uma membro do Conselho do Governo Checo para Minorias Nacionais.

<VOLTAR AO TOPO>

JIMMY ROSENBERG - França - 1980


• Seu nome, Joseph Rosenberg nasceu em uma família cigana do grupo Sinte, foi revelado como um grande guitarrista na idade de 13 anos. Ainda sendo um adolescente, tocou com gênios como Biréli Lagrène, Stéphane Grappelli, o Stochelo Rosenberg e outros, e viajou em concertos na Europa e os Estados Unidos, inclusive o Carnegie Hall. E mesmo assim, ele ainda prefere viver como um verdadeiro Sinto, em uma caravana.

<VOLTAR AO TOPO>

JOAQUIM PEDRAJA REYES "JOAQUÍM CORTÉS" 1969

• Nascido em Córdoba no seio de uma família cigana, Joaquín mudou-se para Madrid e aos 12 anos começa a estudar dança, atuando com essa idade num programa da TVE. Com 15 anos ingressa no Ballet Nacional de Espanha onde rapidamente ascende a solista. Depois de deixar o Ballet Nacional participa em diversas galas junto a bailarinos de renome internacional como Maya Plisetskava, Silvie Guillem e Peter Schauffuss. Em 2008 Joaquín Cortés é nomeado embaixador da Unicef, em 2009 o seu legado artístico torna-se Património Mundial pela Unesco e em 2010 recebe a Medalha de Ouro das Belas Artes.

<VOLTAR AO TOPO>

JOHANN “KALITSCH” HORVÁTH - Austro-Húngaro - (1912-1983)


• O contador de histórias e escritor, Kalitsch foi o único membro de sua família a sobreviver após terem sido deportados para Auschwitz onde perdeu a primeira esposa e três filhos. Então se casou com a cunhada e reconstruiu uma família. Com suas narrativas chamou atenção dos austríacos para a existência de grupos minoritários e contribuiu para manter viva a língua romani falada em Burgenland. Aqueles que o conheceram pessoalmente lembravam particularmente de sua hospitalidade e de como gostava de crianças. A casa dele sempre foi um ponto de encontro entre jovnes e idosos, um verdadeiro centro de cultura cigana o longo de décadas. Havia sempre um bule de café em cima do fogão , onde convidados se serviam.

 

<VOLTAR AO TOPO>

JOHNNY RADUCANU - Romênia, (1931)


• Chamado “Sr. Jazz da Romênia”, foi um pioneiro do jazz em seu país e um artista excelente, principalmente como pianista. Ele pertence a uma família de ciganos de longa tradição musical. Tocou e gravou com muitos dos maiores artistas do Jazz, foi premiado com o Prêmio de Excelência pela União de Compositores romenos e recebeu um cartão de sócio honorário da Nova Orleans Jazz Academia. Ele também é o fundador da escola de Jazz Romena e o Presidente de Federação de Jazz Romena.

<VOLTAR AO TOPO>

JORGE EMILIO NEDICH 1959

• Nasceu em Buenos Aires. Ele era um cigano semi-nômade, cresceu sem educação formal. E tornou-se professor e coordenador do departamento de literatura da Universidade Nacional de Zamora em Buenos Aires. Autor de diversos livros e o primeiro cigano ativista em defesa da manutenção da cultura na América Latina.

<VOLTAR AO TOPO>

JOZKA KUBÍK - Tchecoslováquia - (1907 -1978)


• Pertenceu ao grupo quase extinto de ciganos Moravianos.
A família dele era tradicionalmente de ferreiros e músicos. Ele aprendeu a tocar violino na infância e à idade de quinze estava conduzindo um conjunto folclórico. Ele foi o primeiro músico que introduziu o cymbalion entre violinos e violas em uma orquestra folclórica Checa que requereu o desenvolvimento de um estilo de tocar mais elaborado. Ele foi um dos poucos ciganos moravianos que sobreviveu ao Holocausto. Em 1990, um asteróide descoberto por astrônomos Checos foi nomeado Jožka Kubík, em sua honra.

<VOLTAR AO TOPO>

 

KÁLMÁN BALOGH – Miskolc – (1959)


• Nascido em uma família cigana de tradição musical reconhecida, Kálmán Balogh é um cimbalista virtuoso. Ele se formou na Ferenc Liszt Academia de Budapest, e em 1985 ele foi premiado como Mestre Jovem de Artes Folclóricas. O cymbalon é um típico instrumento dos ciganos húngaros, tocado com bastões que Kálmán Balogh toca com domínio total. Ele fundou o próprio conjunto e alcançou sucesso internacional.

<VOLTAR AO TOPO>

KATARINA TAIKON – Suécia - (1932 -1995)


• Não tendo tido acesso a educação de escola por causa de ser cigana do grupo calderash, ela alcançou fama se tornando uma escritora, principalmente de livros para crianças. O trabalho literário "Katitzi " é uma história inspirada na infância dela. Ela disse: "Eu nunca fui para a escola até meus 33 anos de idade, embora tenha nascido na Suécia. " Isto evidencia a exlusão social dos grupos ciganos.

<VOLTAR AO TOPO>

 

KATARZYNA POLLOK - Ucrânia - (1961)


• Reconhecida internacionalmente como pintora e escultora, ela é uma cigana do grupo Sinte comprometida com os direitos das minorias étnicas e com freqüência aborda a memória do Holocausto Cigano (Porrajmos) no momento reside na Alemanha, e realiza exibições de arte em todo o mundo.

<VOLTAR AO TOPO>

KEROPE PETROVICH PATKANOV (Patkanyan) – Armênia - (1833 - 1889)


• Cientista pertence a um grupo das famílias ciganas armênias. Estudou no Instituto de Lazarevsky de Idiomas Orientais e se tornou perito em história armênia, cultura, idioma e literatura. Executou uma pesquisa no idioma e cultura de Ciganos Caucasianos e outros grupos nômades, e escreveu artigos em geografia e história para publicações em Enciclopédias.

<VOLTAR AO TOPO>

KOSTAS PAVLIDIS - Grécia - (1974)


• É um dos cantores contemporâneos mais qualificados da Grécia. Em 1993 ele participou do concerto de música cigana do qual foi elaborado o álbum “Canções dos Ciganos da Grécia” desde então ele tem gravado com os artistas gregos mais importantes, e está contribuindo à modernização da cultura musical dos ciganos gregos.

<VOLTAR AO TOPO>

LILA ZELLET ELÍAS - México - (1971)


• Lucila Tellez Elías Nemer pertence a uma família de ciganos sírio-libanesa.
Ela é dançarina e cantora, como também diretora de arte em teatro, dança em ópera e filmes desde 1991, é professora de artes visuais e história de arte desde 1993. O trabalho dela é dedicado à pesquisa, conservação e difusão de expressões musicais e coreógrafas ciganas do Oriente Médio, como também propostas novas que unem cultura cigana na América Latina. Ela desenvolveu um sistema de educação de dança cigana-coreografada professionalizante formando na escola que ela fundou, Madrasat Al Mosharabía, único na América Latina.

<VOLTAR AO TOPO>

LOUISE DOUGHTY - Reino Unido - (1963)


• Dramaturga britânica, de familia romanichel. Os últimos dois romances, Fogos na Escuridão e Berço de Pedra, tratam da vida (cigana) Romani. Ela já trabalhou amplamente como crítica literaria e radialista no Reino Unido, incluindo um período como crítica de teatro para o Mail on Sunday, e como o apresentadora de séries de artes de vários livros e para a Radio BBC.

<VOLTAR AO TOPO>

LYUDMILA NIKOLAYEVNA PANKOVA – Moscou - (1925)

• Ela escreveu muitos livros especializados e continuou mais de cinqüenta trabalhos científicos lidando com o humano e fisiologia animal, características clínicas, anatômicas e nervosas de crianças, e outros tópicos científicos. Ela também escreveu a experiência de vida na qual são registrados fatos importantes da história nacional.  Doutora em Filosofia, Professora pós-graduação, Diretora do Instituto de Capacitação em Serviço para professores de Artes e Ciências Sociais, na Universidade Estadual de Moscou.

<VOLTAR AO TOPO>

MANOUSH - Alemanha - (1971)

• O nome de nascimento dela é Marcia Nicole Rani Barandyai, nascida 29 maio de 1975 em Saintes-Maries-de-la-Mer é uma atriz, candramaturga e cantora, executa principalmente o papel da menina má em suas encenações. É uma cigana sinti de origem alemã, francesa e americana.

<VOLTAR AO TOPO>

MARISKA VEERS - Países Baixos - (1947 - 2006)

• Ela era a filha do violinista Lajos Veers cigano húngaro. Ela era uma cantora popular e a carreira começou nos anos 60. Ela alcançou popularidade como o vocalista do The Shocking Blue.

<VOLTAR AO TOPO>

MARTIN TAYLOR - Reino Unido – (1956)

• É guitarrista autodidata de prestígio internacional. Ele é um cigano romanichel. Foi condecorado pela Sociedade do Império Britânico pelos serviços que prestou na área de música em 2002 entre as realizações dele, tem o Prêmio de Jazz britânico como melhor guitarrista dez vezes entre 1987 e 2001, título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Paisley, Escócia em 1999.

<VOLTAR AO TOPO>

MATÉO MAXIMOFF - França – (1907-1999)

• O pai dele um calderash russo que migrou à França e a mãe uma sinti-manush. Matéo Maximoff sobreviveu ao "Porrajmos"(holocausto cigano) durante a Segunda Guerra Mundial; ele se tornou um escritor excelente em Romani e francês, e defendeu o direito de educação para as crianças ciganas. Seus trabalhos literários foram traduzidos em vários idiomas. Depois de ter se tornado pastor Evangélico, completou uma tradução do Novo Testamento em Romani Calderash .

<VOLTAR AO TOPO>

MICHAEL CAINE - Reino Unido - (1933)

• Seu nome Maurice Joseph Micklewhite, filho de mãe cigana romanichel.
Como um ator, foi premiado duas vezes com o Oscar (1986 e 1999).

<VOLTAR AO TOPO>

MICAELA FLORES AMAYA “La Chunga” - França - (1938)

• “La Chunga” é conhecida mundialmente como uma dançarina de flamenco, mas aqui quero mencioná-la como pintora. Começou a pintar como autodidata e seu estílo foi elogiado por Picasso, que disse: " como é possivel que uma menina cigana sem estudos expresse tal sensibilidade de cores em suas pinturas..."Filha de ciganos andaluzes, nascida na França.

<VOLTAR AO TOPO>

MIKHAIL ERDENKO - Rússia (1885 - 1940)

• Foi o fundador de uma dinastia de músicos ciganos russos, cantores, dançarinos e artistas. Violinista excelente, foi professor no conservatório de Moscou e amigo pessoal de Lev Tolstoy, para quem tocou também. Ele era um mestre em arranjos de música popular da qual o mais célebre é a versão do Kol Nidrei, uma oração judia em aramaico que é dita na Sinagoga ao serviço da noite de Yom Kippur. Ainda é considerado que o Kol Nidrei de Erdenko é a versão mais bonita da oração

<VOLTAR AO TOPO>

MIRCEA LACATUS - Romênia - (1962)

• Escultor,cigano, graduado na Universidade de Artes em Bucareste, Romênia. Residente em Viena expôs seus trabalhos de forma internacional, principalmente na Áustria, Romênia, Croácia e Japão.

<VOLTAR AO TOPO>

NATALYA NIKOLAYEVNA PANKOVA – Moscou - (1924 - 1991)

• Filha do cigano, escritor, Nikolay Aleksandrovich Panko. Ela se formou em Química e trabalhou no Instituto de Subprodutos Orgânicos e Tinturas como Assistente de Pesquisa. Durante a atividade profissional, foi reconhecida pela invenção de trinta processos avançados de tinturas de cianeto para as quais obteve os certificados de autoria. Natalya Pankova não só era uma cientista excelente, mas também artista talentosa, cantora, dançarina e pintora.

<VOLTAR AO TOPO>

NIKOLAY ALEKSANDROVICH PANKOV - Rússia (1895 – 1959 )

• Um pioneiro entre escritores ciganos russos, o talento literário de Nikolay Pankov foi o resultado de uma educação autodidata. Em 1922 se mudou para Moscou e foi se familiarizado com organizações ciganas, com as quais ele cooperou na promoção do idioma de Romani e cultura. Autor, poeta, tradutor e jornalista, escreveu artigos e poesia para o diário Novyi Put'; traduziu em Romani alguns trabalhos de Aleksandr Puškin, criou um alfabeto de Romani e contribuiu com a produção de um dicionário Romani-Russo. Ele também foi membro da Gypsy Lore Society of Liverpool, Inglaterra. Ele é pai das cientistas Natalya Pankova e Lyudmila Pankova.

<VOLTAR AO TOPO>

NIKOLAY SLICHENKO - Rússia - (1934)

• Ator de teatro desde a mocidade, sobreviveu à Segunda Guerra Mundial na qual perdeu o pai e outros membros da família. Ele ganhou vários prêmios importantes como o People"s da URSS (1981), Prêmio Estatal da URSS (1987), e a Ordem para o Serviço para Pátria (2004). Em 1977 foi designado como Produtor do Teatro Cigano de Moscou. Também há uma estrela nomeada com seu nome.

<VOLTAR AO TOPO>

NIKOLAY IVANOVICH ERDENKO - Rússia (1945)


• Violinista talentoso, ele é o “o patriarca” do povo russo cigano moderno. Ainda sendo um estudante, ele foi chamado para tocar com uma orquestra sinfônica no Japão, e então recusou uma proposta para ensinar no conservatório de Tóquio. Nikolay Erdenko é considerado um perito por músicos excelentes que o tiveram como um conselheiro e professor. M úsico e cantor, seu estilo é único, mas mantendo a alma de cigano. Ele participou em trilhas sonoras de filmes sobre histórias Ciganas, inclusive o filme mais célebre deste gênero, “Tabor Uhodit V Nebo”. Ele gravou álbuns com o esposa Roza e suas filhas , em Romani e russo.

<VOLTAR AO TOPO>

ONDREJ GINA - Bohemia – (1951)


• Ondrej Gina é o filho de um conhecido ativista cigano e o primeiro repórter cigano do diário de notícias em televisão Checa. Antigamente o correspondente para a Agência de Romany Internacional “Romnews” e repórter para o diário de rádio.

<VOLTAR AO TOPO>

OLGA PANKOVA - Rússia – (1983)


• Uma sobrinha de Nikolay Pankov, ela começou a carreira escrevendo para o diário Novyi Put'. Ela também traduziu a prosa de Puškin e poesia em Romani. Ela foi autora de uma coleção de versos intitulada “Amare Divesa” (Nossos Dias), publicado em Moscou em 1933 que foi o primeiro trabalho literário Romani escrito por uma mulher, em sua região.

<VOLTAR AO TOPO>

OTTO MUELLER 1874 - 1930

• Era filho de um oficial alemão e uma cigana sinti. A personalidade artística de Otto será marcada pela fuga do mundo rígido de seu pai para o universo apaixonado e livre de sua mãe. Pintor da escola "Die Brücke", o precursor do expressionismo na Alemanha, seguirá os traços do mundo cigano, que inspirou a maioria de suas obras.

<VOLTAR AO TOPO>

PANNA CINKOVÁ - Hungria – (1711-1772)


• Nascido em uma família de músicos de ciganos, foi a violinista mais renomada. O talento era evidente desde sua infância. Ela fundou um conjunto cigano com o marido e o cunhado, e depois com os filhos. Seu domínio instrumental e sua beleza fizeram dela uma lenda viva. Sendo solicitada a tocar para a nobreza, também tocou para a Arquiduquesa da Áustria.

<VOLTAR AO TOPO>

PATRICIO KASSIMATI HEARN (Yakumo Koizumi) - Grécia (1850 -1904)


• Poeta, jornalista, tradutor e professor de idioma, pertenceu à família cigana Heron romanichel. Educado na Irlanda, Inglaterra e França, em 1889 foi para o Japão e casou-se com a filha de uma família tradicional de Samurais. Desde 1895 ele é conhecido pelo nome japonês Yakumo Koizumi. Ele foi autor de vários livros sobre o Japão e sua cultura, e era o professor de literatura inglesa na Universidade Imperial de Tóquio e em Universidade de Waseda.

<VOLTAR AO TOPO>

PAVEL SEREBRYAKOV TSARITSIN (1909 -1977)


• Nascido em uma família cigana. Sendo um músico talentoso, à idade de 19 anos se mudou para Leningrado, com a finalidade de estudar piano no conservatório mais antigo da Rússia onde começou sua brilhante carreira: em 1938, ele se tornou o Diretor do mesmo Conservatório, uma posição que manteve durante quase trinta anos, até a sua morte.

<VOLTAR AO TOPO>

PHILOMENA FRANZ - Alemanha - (1922)


• Nascida em uma família de músicos ciganos do grupo sinte, na infância foi cantora de música tradicional cigana e dançarina em uma companhia de teatro. Foi enviada para Auschwitz e transferida para outros campos de concentração dos quais sobreviveu, mas tendo perdido a família. Ela se tornou escritora e em 1995 e foi premiada no Bundesverdienstkreuz que é a honraria civil mais alta conferida na Alemanha.

<VOLTAR AO TOPO>

RAJKO DURIC 1947

• Nascido na Sérvia , em uma família cigana tornou-se escritor e acadêmico . Ele escreveu mais de 500 artigos e foi o principal redator da seção cultural do jornal Politika em Belgrado. Ele era o presidente da União Romani Internacional e foi o Secretário Geral do PEN Centro Romani Internacional. Seus trabalhos literários foram traduzidos em mais de cinco idiomas. Em 2011, ele co-fundou uma academia Romani de Artes e Ciências, em Belgrado, e tem sido o seu presidente desde então.

<VOLTAR AO TOPO>

 

RICKIE LEE JONES - Illinois (1954)


• Cantora e compositora, ela executou vários gêneros musicais, principalmente inspirado em blues e estilos de jazz. Ela é de origem cigana galesa. Conhecida desde então pelo estilo de vida não convencional em sua mocidade, morou entretanto em lugares diferentes fora os Estados Unidos. Ganhou o Grammy Award duas vezes. Uma antologia da carreira dela foi realizada no álbum “a Duquesa de Coolsville.”

<VOLTAR AO TOPO>

ROBY LAKATOS - Hungria - (1965)


• É um descendente direto de János Bihari e membro de uma família tradicional de músicos ciganos, dentre os quais, ele recebeu a formação musical, então completado no Béla Bartók Conservatório de Budapest. Ele é um violinista extraordinariamente versátil, capaz de combinar clássico, jazz e popular em um único desempenho. Como compositor e coordenador, fundou o próprio conjunto e executou em festivais internacionais com orquestras prestigiosas.

<VOLTAR AO TOPO>

RONALD LEE – Montreal


• Mesmo tendo nascido em Montreal passou dos 5 aos 13 anos no Reino Unido. Depois do retorno a Montreal, viveu a maior parte de sua vida lá, mudando-se para Ontário em 1994. Ele vive atualmente em Hamilton com a esposa, Giannina Bottacinni. Como um bom cigano já trabalhou em diversas áreas e profissões entremeadas com períodos de emprego autônomo de office boy, ferreiro, na adolescência, na área rural de Quebec com um cigano calderash, de mecânico, músico popular, modelo, criador de maquetes no Exército de Montreal e Museu Marítimo e finalmente, jornalista e escritor. Em 1997 se mudou para Toronto para se tornar um membro fundador da Comunidade Central dos Direitos Ciganos. Durante este período, administrou vários programas e serviu como o diretor executivo e presidente do conselho de administração. Desde 2003, tem ensinado em um seminário primaveral intitulado: A Diáspora Cigana na Faculdade do Canadá, Universidade de Toronto.

<VOLTAR AO TOPO>

ROSA TAIKON JANUSH - Suécia (1926)


• Ouríves e joalheira, ela é a irmã de Katarina Taikon. Suas habilidades manuais estão expostas em exibições e museus, principalmente na Suécia. Rosa é conhecida por suas jóias de prata. Ela mesma desenha e produz as peças. Desde a sua primeira exposição em 1966, sua arte tem sido demonstrada em galerias de prestígio em toda a Suécia. Além disso, seu trabalho é uma parte de exposições permanentes e depositários em vários museus na Suécia e no exterior: na Finlândia, Noruega, Inglaterra, Alemanha, Áustria, Suíça, Estados Unidos, Austrália e outros países.

<VOLTAR AO TOPO>

SANDRO - Argentina – (1945 - 2010)


• Seu nome civil é Roberto Sánchez, neto de cigano húngaro. Com quarenta anos de carreira artística, Sandro é o cantor popular da Argentina, e o primeiro cantor latino-americano que lotou o Madison Square Garden várias vezes.
Sandor se tornou uma estrela do rock'n roll nos anos 60, inspirado por Elvis Presley. O estilo apaixonado dele conquistou o público feminino na Argentina e ao longo do continente. Pelo talento artístico dele e habilidade de renovação, a música dele esteve sempre em foco, e hoje ele é principalmente um cantor de balada romântico.

<VOLTAR AO TOPO>

SANI RIFATI

• Cigano, ativista dos direitos humanos e Presidente da Voice of  Roma . Nascido em Kosovo, mas atualmente reside na Califórnia. Bailarino e coreógrafo, ele era um membro do grupo de dança Kheljen Roma , e primo da grande cantora  macedónia Esma Redzhepova

<VOLTAR AO TOPO>

SOFIA VASILYEVNA KOVALEVSKAYA - Rússia - (1850 -1891)


• Nascida em uma família erudita, neta de cigana, que pertenceu à nobreza russa, ela era um gênio em matemática desde a infância. Ela podia explicar fórmulas algébricas antes de ter estudado as mesmas. Em 1869 ela se mudou para a Alemanha com o propósito de estudar ciências naturais, mas mulheres não eram admitidas na universidade; porém conseguiu permissão para comparecer às aulas. Em 1884, foi designada como professora na Universidade de Estocolmo, Suécia, uma cadeira que somente cinco anos depois seria oficializada, desta forma tornando-se a primeira professora universitária feminina na Escandinávia e a terceira na Europa(depois de duas italianas).

<VOLTAR AO TOPO>

SOFIYA MARINOVA KAMENOVA 1975

• Mais conhecida como Sofi Marinova Ela é uma das cantoras mais populares da Bulgária, famosa por atingir cinco oitavas. Em 2010 Marinova foi nomeado embaixadora contra a pobreza e isolamento social.

<VOLTAR AO TOPO>

TAMÁS PÉLI - Hungria - (1994)


• Foi o primeiro cigano húngaro que se formou como pintor profissional, na Academia de Arte Nacional de Amsterdã. Suas obras são reconhecidas mundialmente e são consideradas entre as obras-primas de artes visuais. Ele passou sua paixão a pintura para os ciganos de seu grupo, e inspirou as futuras gerações de artistas ciganos.

<VOLTAR AO TOPO>

TONY GATLIF - Argélia - (1948)


• Seu nome, Michel Dahmani nascido em uma família cigana e argelina, de Andalusia.
Tony é o maior diretor de filmes ciganos no mundo e amplamente premiado. Filmografia: La Tête en ruine (1975) , La Terre au ventre (1978) , Corre gitano (1981), Canta gitano (1981), Les Princes (1982), Rue du départ (1985), Pleure pas mon amour (1989) ,Gaspard et Robinson (1990) , Latcho Drom (1992), Mondo (1995), Gadjo dilo (1997) , Je suis né d'une cigogne (1998), Vengo (2000), Swing (2001), Exils (2004), Transylvania (2006), Liberté (2011) e Indignados (2012).

<VOLTAR AO TOPO>

VALDEMAR KALININ – Bielorússia - (1941)


• É um escritor cigano contemporâneo, partidário da Escola Literária Russo-Romani. Autor da coleção de poesia Sonhos Ciganos, escrito em bielorusso, inglês e uma versão em romani, em alfabetos cirílico e latino. Foi premiado com o Prêmio de Hiroshima para Paz e Cultura em 2002 e Prêmio Literatura Cigana do Instituto de Sociedade Aberto de Budapeste em 2003. Também escreveu uma tradução da Bíblia em romani.

<VOLTAR AO TOPO>

 

VIKTÓRIA BERNÁTHNÉ MOHÁCSI - Berettyóújfalu- (1975)


• É a segunda mulher cigana que se tornou membro do Parlamento europeu quando a Hungria se uniu a União européia em 2004, para o Szabad Demokraták Szövetsége, substituindo o colega de partido Gábor Demszky.

<VOLTAR AO TOPO>

YEVGENIY ALEKSANDROVICH NIKOLAYEV 1972

• É um cantor e ator cigano da Ucrãnia, mais conhecido por seu nome artístico de Eugene Hütz e seu trabalho como líder da banda Gogol Bordello. Hütz é um ávido defensor dos Direitos Ciganos, usando a sua música para introduzir a cultura cigana a um público maior.

<VOLTAR AO TOPO>

YIORGOS MANGAS - Grécia - (1952)


• É um cigano grego, considerado o melhor tocador de clarinete solista contemporâneo na Grécia. O estilo particular e técnica, usando escalas complexas em cima de um fundo harmônico modal, deslizamentos e mudanças inesperadas, e o modo pessoal de interpretação e habilidade de improvisação não só conquistaram o público na terra nativa mas ao longo da Europa e América.

<VOLTAR AO TOPO>

YUL BRYNNER - Rússia - (1915 -1985)


• Nascido Yuli Borisovich Bryner era metade cigano, meade judeu, pela mãe Marousia Blagovidova cujo o pai era um judeu russo e a mãe uma Cigana russa. Foi de qualquer maneira entre ciganos que ele começou a vida aventureira, enquanto tocava violão em roda de músicos ciganos e trabalhava como trapezista em circo. Ele foi eleito Presidente Honorário dos Ciganos, em um escritório que ele manteve até a morte.

<VOLTAR AO TOPO>



 

Elohêno velohê avotênu, barachênu baberachá hameshuleshet batorá haketuva al iedê Moshê avdêcha, haamura mipi Aharon uvnav cohanim um Kedochécha caamur: “levarechechá Adonai ve