Participação da Embaixada Cigana do Brasil no

III Seminário Internacional Rroma - Valência - Espanha

Promovido pela Federación Maranatha de Asociaciones Gitanas


Esta foi a abertura oficial do III Seminário Internacional Rroma realizado entre os dias 26 e 28 de Outubro de 2011 - na mesa personalidades do governo Valenciano e José Alfredo Maya Maya, presidente da Federación Maranatha.

A Embaixada Cigana do Brasil recepcionada pelo ilustríssimo senhor
Vicente Soriano Bàños, Consul Honorário do Brasil, em Valencia.
Baños foi realmente muito solicito, se colocou a nossa disposição e tomamos um bom vinho juntos.
Agradecemos ao Ministério das Relações Exteriores que com essa recepção fez com que nos sentíssimos em casa ou seja no Brasil.

Prof. Dr. Nicolas Ramanush sendo apresentado para ministrar sua conferência por José Luis Gil Hidalgo diretor Federação Maranatha.


NOSSA PROPOSTA PARA INCLUSÃO RROMA NA COMUNIDADE EUROPÉIA APRESENTADA NO III SEMINARIO INTERNACIONAL RROMA E APROVADA PELA COMISSÃO ORGANIZADORA  E REPRESENTANTES DE DIVERSOS PAÍSES, PRESENTES AO EVENTO.

A Comissão Européia espera deste Seminário idéias e proposta eficazes que contribuam para que sejam geradas políticas de inclusão. E isso foi orientado diretamente pelo Comissário Europeu de Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão, László Andor.
Bem, para que vocês possam tomar conhecimento da proposta que levamos à Espanha, eis uma síntese proferida por Ramanush (que foi aprovada por unanimidade e muito elogiada):

Proposta da Embaixada Cigana do Brasil - Phralipen Romani

" Ainda que estejamos separados pelo oceano, tenho muito prazer em apresentar-lhes nossa visão de inclusão de nossos irmãos europeus. Primeiramente, creio que todas as propostas devem ser analisadas de acordo com a região na qual os ciganos estão vivendo. Pois uma estratégia unificada para a integração de ciganos em toda a Europa, não abarcaria as diversas características que cada comunidade enfrenta. Contudo, a inclusão social de indivíduos da etnia cigana é ainda uma das tarefas mais importantes da Europa, mas de nosso ponto de vista não deve ser embasada apenas na etnia e sim principalmente em fatores econômicos. Se os grupos de ciganos implicados no tema da inclusão não vivem em guetos e ou em lugares chamados de "bairros ciganos" e não são obrigados a utilizar uma tarja amarrada ao corpo na qual se leia: cigano. Então, o problema de inclusão não se limita a questões étnicas e tem, nesse casa, muito mais a ver com cidadãos de última classe (e nesse caso ciganos ou não). Na Hungria, por exemplo, apenas um terço das pessoas que vivem na pobreza são ciganas, e somente um terço dos ciganos vivem em extrema pobreza. E estes são os que realmente foram segregados em 'bairros ciganos" . No Brasil, desde o início da República não foram criadas políticas governamentais para integrar as comunidades de etnia cigana à sociedade majoritária. Por outro lado no Brasil, graças a Deus, não existem os guetos e "bairros ciganos" que encontramos em quase toda a Europa.

Outros assuntos abordados em nossa exposição:

Também apresentamos em nossa conferência a situação da comunidade cigana do Brasil.
Uma abordagem sobre  os principais clãs existentes no Brasil e os motivos que fizeram com que Rom e Sinti se integrassem e os Calon ainda permanecessem, em grande parte, à margem da sociedade. Houve uma explanação quanto à distribuição geográfica dos ciganos pelas regiões brasileiras, segundo o IBGE e outra segundo levantamentos realizados pela Embaixada Cigana do Brasil. Todos, no Seminário, disseram-nos que ficaram felizes em poder tomar conhecimento sobre nossa população no Brasil, pois antes de nossa conferência, eles não sabiam quase nada a respeito. Porém, quatro dos itens apresentados por nós causou um grande impacto em representantes de diversos países:

- O projeto Romani Rota (música e dança) que utilizamos para resgate, manutenção e difusão de nossa cultura - e ainda contra o preconceito;

- O fato do Brasil possuir mais ou menos 800.000 pessoas de etnia cigana;

- O Brasil ser o único país em todo o mundo a ter em seu calendário oficial o Dia Nacional do Cigano;

-  E também o único no mundo a ter não-ciganos que brincam de ser cigano e uma religião que acredita que espíritos de ciganos desencarnados auxiliam os vivos.

Presentes à conferencia de Ramanush

Ao término de sua conferência Ramanush lança oficialmente seu 10º livro: Los Hermanos Caló y Calon - Un estudio linguístico de los pogadolectos Caló (Espanha) y Calón (Brasil), cujo primeiro exemplar foi ofertado à biblioteca da Federação Maranatha.
observação: em breve este livro também estará disponível para venda em nosso website.

Ramanush sendo cumprimentado por Prof. Dr. Marcell Courthiade, catedrático da língua Romani, da Universidade Sorbonne em Paris.

Ramanush e o cigano escritor Israel Gabarri , autor de La Lengua Romani en España desde el siglo XVIII hasta Nuestros Dias. Quem desejar adquirir esse livro envie email solicitando contato do autor.

Ramanush entrega certificado de membro honorário da Embaixada Cigana do Brasil - Phralipen Romane a José Alfredo Maya Maya  presidente da Fundação Maranatha de Associações Ciganas da Espanha, e organizador do III Seminário Internacional Rroma.


Ramanush e Hugo Alejandro Paternina da Universidade de Madri

Ingrid Ramanush na chegada ao Seminário.

Vitsa Ramanush

Ingrid Ramanush e Ana Dalila Báos do PRORROM

Ramanush e Zadziro Yancovich (O Yanko é um dos maiores defensores e difusores de nossa língua, o Romanês.)

Ramanush e Madame Courthiade

Ramanush e Marcell Courthiade

 

Ramanush e Tio Juan Cortes (el bailaor)

Ingrid Ramanush e Tia Beleny

Ingrid Ramanush recebendo seu certificado das mãos de Gotzone Mora Temprano

Ramanush recebendo seu certificado das mãos de Dom Santiago Grisolia

ciganas do Brasil, Colômbia, Romênia, Albânia

Ingrid Ramanush(Brasil) Ana Dalila( Colômbia) e Maria Stonian (Romênia)

Ingrid Ramanush e Ochita Pau da Associação O Del Amenta

 
Dani de Francisco show de encerramento, confiram mais no vídeo
 

Na programação do III Seminário Internacional Rroma, pudemos conferir a exposição fotográfica: Os ùltimos dias de Sulukule. E a mesma foi produzida por Joan Alvado que desde 2008 trabalha com projetos de fotografia documental a quem tivemos o prazer de conhecer.
Eis um pouco da exposição:

Sulukule era um bairro histórico de Istambul, Turquia.
A presença de ciganos na área remonta ao período bizantino e após a conquista otomana da cidade tornou-se o primeiro bairro do mundo de ciganos sedentários.
Até há alguns anos Sulukule era conhecido pelas casas de entretenimento, onde os ciganos tocavam música e dançavam para os visitantes de Istambul e de fora. Eram especialmente populares os músicos tsiffeteli e as dançarinas do ventre.

Nos anos 50 e 60 esses estabelecimentos eram de tal forma populares que nelas chegaram a atuar muitas estrelas da música turca, como Zeki Müren.
O encerramento dessas casas em 1992 precipitou um grave declínio socioeconômico na área.
Iniciaram o plano para demolição do bairro devido às propostas de transformação urbana consideradas urgentes pelas municipalidades de Fatih.

 

Auto-avaliação de nossa participação no III Seminário Internacional Rroma - Espanha:

Bem, quando em junho deste ano fomos convidados pela Federação Maranatha de Associações Ciganas, Valencia, Espanha, para participar do III Seminário, aceitamos imediatamente. Pois, esse convite representava a possibilidade de atendermos às constantes solicitações que recebemos de associações ciganas da Europa para fechamento de acordos de atividades culturais e parcerias . E a exemplo do que já havíamos realizado com associações ciganas da França  e Eslováquia, neste III Seminário pudemos realizar novas parcerias. Desta feita com organizações da Inglaterra, Romênia, França, Suécia e Espanha.
Aguardem que em breve publicaremos essas atividades e os resultados